segunda-feira, agosto 14, 2006

O Planeta está com febre!

Veja esta animação do Greenpeace sobre as Alterações Climáticas:
O Planeta está com febre!

Em Junho deste ano, a Academia das Ciências dos EUA publicou um estudo que diz que a temperatura da Terra verificada nos últimos 25 anos é, com grande grau de confiança, a mais alta verificada em qualquer período semelhante nos últimos 400 anos e, provavelmente, nos últimos 2000.
Relatório: sumário e muito breve .

Mesmo que algumas pessoas (por exemplo, Mitos Climáticos), incluindo cientistas (Impostura Científica), subsistam em negar a existência de alterações climáticas, ou que, a existirem, se devam, pelo menos em parte, à acção do Homem, a verdade é que, dada a natureza do problema e as suas muito prováveis consequências desastrosas , perante a dúvida deveria optar-se pela prudência e por se defender uma alteração da forma como nos relacionamos com o Ambiente. Afinal, não será de bom senso admitir que a libertação de CO2 para a atmosfera num período muito curto (cerca de 50 anos) resultante da queima de aproximadamente 50% do petróleo acumulado ao longo de milhões de anos mais a desflorestação resultante da agricultura e dos fogos tenha, de facto, um impacto sobre o clima?

É que este problema não é apenas uma discussão académica, pode ser, em última análise, uma questão de sobrevivência.

3 comentários:

Luis Rocha disse...

Caro José Sousa

Estou de acordo contigo quanto às alterações climáticas, conheço os argumentos dos que dizem que o problema não existe. Penso que é uma teimosia um tanto irracional daqueles que por um rigor técnico exagerado querem desmentir o aquecimento global.

Por exemplo se os grupos que fazem campanha pelo enfrentamento do aquecimento global tem como objectivo diminuir o consumo do petróelo global estão de facto a contruibuir para pelo menos mitigar o problema do "pico do petróleo mundial", interessa que o pretexto seja tecnicamente duvidoso?

Eu penso que não. Eu sei que é verdade que já houve anos muito mais quentes dos que nós vemos ultimamente à milhares ou centenas de anos atrás, mas será que isso importa? Se nós hoje nos deparamos com níveis de poluição e desflorestação sem precedentes?

Se a causa/campanha das "Alterações Climáticas" contribui para a reflorestação, diminuição do consumo de combustíveis fósseis e construção de uma sociedade sustentável baseda em energias renováveis e economia local, o que importa se o pretexto das AC é muito ou pouco tecnicamente rigoroso?

A mim pouco me importam os cenários do IPCC, mas todos os que estão por uma ecnomia sustentável e contra a poluição merecem o meu apoio.

E não deixa de ser verdade que vivemos num periodo de aquecimento que causa problemas economicos ou agriculas. Se é tão grave como diz o IPCC ou tão normal como diz o "Mitos Climáticos" pouco importa.

http://peakoilportuguese.blogspot.com/

Luis Rocha disse...

E já agora, excelente animação do GreenPeace! Simples e directa, muito informativa.

José M. Sousa disse...

Olá!

Obrigado pelos comentários. Pois, é isso mesmo! Quer dizer, não percebo quem é que ganha com meter medo com as Alterações Climáticas. Acho que são mais aqueles que não querem ouvir falar do assunto: indústria automóvel, petrolífera, etc.